220 Views |

LiveModa

Texto: Redação

 
O DFB Digifest 2020, edição virtual do maior encontro da moda autoral da América Latina, iniciou na noite desta terça-feira (28) as transmissões dos desfiles 100% online. O evento virtual acontece no canal de Youtube e conta com um line-up especialíssimo de criadores e marcas locais.
No primeiro dia de evento, desfilaram Bruno Olly, Lindebergue Fernandes e Ivanildo Nunes. A ação tem o objetivo promover a moda autoral, renovando e incentivando o trabalho e a autoestima de criadores e marcas parceiras neste momento de impactos da pandemia. Em uma coleção que apresenta apenas tons crus, beges e terrosos, Lindebergue Fernandes trouxe em sua coleção cápsula uma homenagem a Thina Rodrigues, travesti, negra, transformista, sertaneja e ativista. Com peças em formas arredondadas e volumosas, a seleção foi formada por amplos vestidos balonês, moletons oversized e “mangas-nuvens” – uma das marcas registradas do designer.
Com coleção intitulada “O Reencontro do Eu perdido!”, Ivanildo Nunes utilizou formas abstratas do tingimento artesanal, trazendo ainda o crochê, o rechilier e o bordado manual. Feita de forma exclusiva, utilizou em algumas peças sobras de materiais picados que virariam lixo. Já Bruno Olly trouxe o faroeste como inspiração, apresentando em sua coleção materiais como o jeans com aspecto mais desgastado e lavagem ecológica que mostra a união do velho e o novo. O cirrê , o xadrez e o linho reforçam a identidade das vestimentas do gênero, com estampas que contam um pouco das histórias do universo, fazendo uma brincadeira com personagens do cangaço.

No dia 02, a transmissão começou com o Coletivo composto pelos três renomados estilistas Bruno Queiroz, Gisela Frank e Bikiny Society. Bruno Queiroz trouxe ao público a coleção “Entrelaço”, que traz silhuetas abstratas, evocando a substância do sentimento amor. Com tecidos como tafetá, sanjan e shantung, as peças apresentam volumes e cores que arrebatam corações. Gisela Frank apresentou uma coleção atemporal, leve, minimalista, comercial e inspirada na natureza. Em tons crus, contou com tecidos em 100% linho puro, que está no DNA da marca. Completando o trio, Bikiny Society apresentou peças na coleção “Pura Vida”, que em uma criação genuína conta a história de caminhos percorridos por entre praias selvagens da Costa Rica, cachoeiras sem fim, trilhas mágicas entre selva, montanha e florestas.
Já o estilista Vitor Cunha apresentou um coleção que celebra o equilíbrio entre o homem, a natureza e o conhecimento em um cartela de tons azuis, inspirada na chuva e nos rios, com pesquisa e desenvolvimento na benatextil, uma lavanderia industrial especializada em jeans, que surge tanto em peças mais convencionais, como shorts, calças de modelagem comfort e camisas sem manga, quanto em viés de macramês.

Finalizando a transmissão, Almerinda Maria apresentou a coleção “Calmaria”, com cores clássicas de suas coleções anteriores como branco, off white e o nude, mesclando com os tons de rosa pó, verde menta e azul oxigênio. Outro destaque do desfile foram as máscaras de proteção, com um mix de rendas – renda renascença, renda francesa, bordado Richelieu, marca registrada da Almerinda Maria.

“A primeira transmissão foi um sucesso. Nossa intenção é reproduzir ao máximo a experiência de um desfile real no DFB, como se a apresentação fosse física e ao vivo. No último dia do evento, dia 31 de julho, às 20 horas, também serão revelados ainda os vencedores do Concurso dos Novos, MoveModa e Prêmio DFB Digital”, comenta o diretor do DFB, Cláudio Silveira.

As gravações dos desfiles aconteceram nos dias 18 e 19 de julho, na F3 Produções, cumprindo todos os cuidados e protocolos de segurança para o casting de modelos e as equipes de produção, beleza e técnica. O DFB DigiFest tem como maior intuito transportar o clima de criatividade e inovação do DFB Festival para o universo das redes sociais.