714 Views |

Tecidos e Materiais por RatoRói

Redação: Devon Zoal  | Foto: Igor Cavalcante

Moda e artesanato são linguagens culturais intimamente ligadas. Com as antenas ligadas nesse fenômeno, o DFB Festival 2017 convidou nomes efervescentes da cena artística para exporem obras que convergem justamente no ponto central onde as artesanias e materiais têxteis dialogam. O grande objetivo aqui é a descoberta de novos materiais para a cadeia de moda, em todos os âmbitos da criatividade.

Conversamos com Flávia Vanelli do estúdio catarinense RatoRói, que desenvolve há alguns anos o projeto Saberes Manuais em parceria com o SEBRAE e a ASSINTECAL. Do desejo de vários agentes em provocar rupturas saudáveis dentro de uma cadeia têxtil cada vez mais mecanizada e saturada surge o Materialma, “um trabalho é coletivo que fala de materiais, novos valores e soluções criativas para alimentar o meio e sugerir novas possibilidades para a indústria, esta sim, que precisa se reinventar” diz Flávia.

Criação de Alexandre Hebert

Ela também destaca o quanto desta descoberta pode resultar em desdobramentos e do quanto da experimentação dos artistas e designers expositores podem gerar tessituras inusitadas, possibilidade outras. O Bye Plastic, projeto da RatoRói com uma associação de recicladores, gera soluções através do uso consciente dos materiais recicláveis. O artista cearense Alexandre Heberte trabalhou com a colocação do Bye Plastic em seus teares, além de utilizar sobras de materiais da indústria calçadista que são descartados durante o processo de fabricação, criando tessituras interessantes em produtos como sapatos masculinos e femininos.

Érico Gondim

Também conversamos com o artista plástico e designer Érico Gondim, que mostra o seu trabalho autoral na exposição da Materialma. O cearense tem uma longa trajetória nesse campo da inovação via processos sustentáveis, upcycling dentre outrosPara a exposição entraram as escamas de peixe – naturais ou utilizando técnicas de tingimento sem resíduos provenientes da indústria – na confecção de sapatos e acessórios de moda. Em outro projeto articulado exclusivamente para o DFB Festival, Érico e o estúdio catarinense desenvolveram a Luminária Corrupio, inspirada no brinquedo corrupião. Misturando plástico prensado e nylon de embalagens de flores e frutas confeccionados pela RatoRói, uma nova matéria prima surge no design do produto para evocar  pinturas abstratas encantadoras.

Se há um universo a ser explorado, investigado com carinho, atenção e bastante interesse no nosso festival, o DFHouse indica a exposição da RatoRói pra já!