259 Views |

Weider Silveiro traz la mujer española para o DFB 2017

Redação: Renato Ferreira | Fotos: Roberta Braga, Cláudio Pedrosa e Pedro Brago | Backstage: Nicolas Gondim

Como puede ser verdad?’ Weider Silveiro apresentou uma coleção inspirada na Espanha em uma mulher idealizada, a mulher de La Isla Bonita, de Madonna. Contemporânea e clássica ao mesmo tempo: é o ser feminino que veste a camisa de alfaiataria do marido, ou namorado, junto com sua saia rodada, de flamenco, sem preocupações.

Monocromático, o estilista usou fundos brancos para repassar sua mensagem mais ‘tropical the island breeze’ possível. Usando apenas o azul e as listras, o desfile mostrou sua proposta bem comercial no Dragão Fashion Brasil 2017 (DFB).

O jeans índigo, os tecidos biodegradáveis desenvolvidos especialmente para Weider, e a destreza das técnicas do upcycling, foram alinhados aos signos do flamenco e criou todo o mood que transportava a plateia direto para terras espanholas.

Braços arqueados e passos sensuais, em uma beleza de Max Weber – que trouxe o queridinho “pega rapaz” nas costeletas – criou um universo do cinema de Pedro Almodóvar durante o evento. Palavras cravejadas, realizadas com lantejoulas, estavam entre os fortes pontos das roupas – Verdad, Bonita e Island Breeze estavam entre elas.

O ambiente sonoro foi todo realizado por Zé Pedro, com várias versões de La Isla Bonita. Foi uma revisita à primeira trilha de 15 anos, quando o estilista apresentava um de seus desfiles e agora, em 2017, com uma nova roupagem musical.

CONFIRA AS FOTOS DO DESFILE AQUI